Compostagem doméstica, Reciclagem de lixo

Reciclagem de Lixo: funcionamento na Alemanha e como fazer sua própria compostagem

A Partiu ser nômade embarcou nesta pesquisa para levar para você informações que vão além de como separar o seu lixo doméstico. Aprenda passo-a-passo a fazer sua compostagem doméstica.

Muito se fala em reciclagem de lixo, consumo consciente, embalagens biodegradáveis. Mas você sabe efetivamente o porquê deste movimento? Qual a importância da reciclagem do lixo? E como países, como a Alemanha, tratam o descarte de lixo doméstico?

Reciclagem x Reaproveitamento

A reciclagem do lixo engloba o reaproveitamento de materiais. Mas tecnicamente o termo é usado apenas para aquele lixo que pode voltar ao seu estado original. Transformar uma coisa em outra é chamada de reaproveitamento ou reutilização.

E porque efetivamente devemos reciclar ou reaproveitar o lixo? Das razões mais importantes estão a economia e a prevenção. Economia tendo em vista que o processo ajuda a frear o desperdício de água na produção de novos materiais, bem como energia. Além disso, previne a contaminação do solo e lençóis freáticos e a diminuição da utilização dos recursos minerais, mantendo assim o ecossistema. Logo, a reciclagem protege também a vida humana, já que fazemos parte do ecossistema.

“O Mundo sem Nós”

A questão ambiental que gira em torno do lixo que produzimos é tema de diversos artigos e livros. O jornalista estadunidense Alan Weisman publicou o livro “O Mundo Sem Nós” (título original: The World Without Us) onde aborda o que aconteceria com a Terra caso os seres humanos desaparecessem. Ele explica quanto tempo as coisas criadas pelo homem, bem como as cidades, durariam. Weisman analisa que os bairros se tornariam florestas em um período menor que 500 anos e que os vestígios mais duradores da presença humana no planeta seriam os resíduos radioativos, as estátuas de bronze e os plásticos.

Um dos vilões: plástico

Segundo um relatório de 2019 da WWF-Brasil (Fundação Mundial para a Natureza), com base nos dados do Banco Mundial, o Brasil é o 4o maior produtor de lixo plástico no mundo, com 11,3 milhões de toneladas/ano. O país estaria atrás apenas dos Estados Unidos, China e Índia. Este mesmo estudo, aponta que no Brasil produz-se em média 1 quilo de lixo plástico por habitante a cada semana.

O problema é mundial já que, segundo o estudo, o volume de plástico que vaza para os oceanos todos os anos é de uma média de 10 milhões de toneladas. E a estimativa é que em 2030 encontraremos o equivalente a 26 mil garrafas de plástico no mar a cada km2.

Alemanha: referência em reciclagem de lixo

Este problema já vem sendo levado a sério em vários países. A Alemanha, por exemplo, tem um sistema de coleta de lixo que é visto como um dos mais eficientes do mundo. Reciclar lixo no país é lei e o descarte de resíduos foi regulamentado em 1972. Inclusive, há previsão de multas para quem desacatar de forma incorreta.

Trata-se de um exercício diário entre os cidadãos. E mesmo em condomínios, onde os contêineres de lixo são coletivos, para evitar uma multa, os próprios moradores se fiscalizam.

Coleta seletiva

Cada estado tem regras diferenciadas. Mas o sistema é único. Separa-se lixo de papel, orgânico, plástico, metal e vidros pela cor (transparente, verde ou marrom). Os que não se encaixam nestas categorias costumam ser descartados no lixo comum.

Os contêineres de lixo reciclável ficam espalhados em diversos pontos da cidade. O cidadão deve separar o lixo e levar a estes pontos para descartá-lo. Além disso, existem centros de reciclagem onde os cidadãos devem levar outros tipos de lixo como: eletrônicos, lâmpadas, baterias, pilhas e móveis, etc.

Além dos lixos reciclados, juntos com os demais contêineres, há também um para roupas. Neste só podem ser descartadas roupas em bom estado e que ainda podem ser usadas. Este contêiner é recolhido, separado e enviado para doações.

Aos domingos e feriados é proibido o descarte dos lixos nesses contêineres pois pode gerar ruído aos moradores próximos aos pontos de coleta.

Outra curiosidade é que as cidades possuem um calendário anual de coletas de lixo específico. Entre eles está a coleta dos pinheiros natalinos. Na data especificada os moradores colocam suas árvores na rua e um caminhão da prefeitura as recolhe.

Os cidadãos são incentivados a fazer compostagem em suas casas e apartamentos, transformando o seu lixo orgânico em adubo para as plantas. E é possível retirar os recipientes para resíduos orgânicos gratuitamente nos centros de reciclagem. Quando eles já estão cheios, basta devolvê-los. As prefeituras também doam aos cidadãos sacos com adubos resultantes das compostagens para que sejam usados em seus jardins e pequenas plantas que os alemães têm como hábito cultivar em suas casas ou varandas.

Pfand: uma solução para o descarte consciente

Além disso, ao comprar uma garrafa pet, alguns tipos de vidros ou latas de bebidas, o supermercado cobra um valor do recipiente que eles denominam de Pfand. Este é um valor retornável. Após o consumo, o cliente retorna com o recipiente, utiliza as máquinas que estão, geralmente, na entrada dos estabelecimentos, e as mesmas geram um recibo do valor retornado. Basta então o cliente ir ao caixa e receber de volta o valor pago ou abater na compra.

A força do hábito

A princípio pode parecer impossível tantos detalhes a serem implementados. Mas a verdade é que, quando as regras são incorporadas no dia-a-dia, torna-se um hábito comum e é possível ver vários cidadãos saindo de suas casas com seus lixos em pequenas sacolas.

E este hábito pode ser aderido por qualquer cidadão em qualquer lugar do mundo. A começar pelo lixo orgânico que pode ser facilmente transformado em adubo e utilizado posteriormente.

Como fazer sua compostagem doméstica

O processo de reciclagem do lixo orgânico, transformando os resíduos como cascas de frutas e legumes e restos de comidas em geral, em adubo natural para plantas e jardins é bem simples, requer pouco espaço e evita o uso de produtos químicos para as plantas. Além disso, o lixo orgânico quando descartado juntamente com o lixo comum em aterros sanitários produzem gás metano que é mais poluente que o CO2.

Quer aprender a fazer uma compostagem doméstica simples? Siga estes passos:

  • Primeiro passo é criar a sua própria composteira (existem vários vídeos na internet que ensinam como fazer uma) ou comprar em lojas especializadas. Ela é formada por três caixas ou baldes empilhados.
  • As duas caixas de cima da composteira servem como depósito para os resíduos domésticos e também é nestas caixas que as minhocas transformam o lixo orgânico em adubo orgânico.
  • O processo dura cerca de 2 meses.
  • Já a última caixa serve como coletora de chorume, adubo líquido ou biofertilizante. Também é conhecido como pesticida natural.
  • Deve-se então colocar uma camada de terra (menos de 1/3) do primeiro recipiente.
  • Junto com a terra coloca-se as minhocas.
  • Em seguida, coloca-se, à medida que se é consumido o lixo orgânico, e por cima a matéria seca (folhas secas ou serragem).
  • Sempre seguindo estas três camadas: terra, lixo e matéria seca.
  • Quando esta primeira caixa estiver cheia, troca-se com a caixa do meio.
  • Enquanto é utilizada a nova caixa de cima, a do meio é transformada naturalmente em adubo orgânico.
  • O líquido resultante da compostagem vai caindo na caixa de baixo e deve ser tirado de tempos em tempos.
  • Este líquido pode ser utilizado nas plantas na proporção de 1/10 de água. E, também, não mais que de 2 em 2 semanas por ser forte.
  • Depois que a segunda caixa estiver cheia. A do meio já deverá estar pronta para servir de adubo.
  • Então deve ser esvaziada, fazendo uma manobra para que as minhocas permaneçam na terra embaixo (normalmente coloca-se um pouco de lixo orgânico no canto da caixa e espera-se que as minhocas iniciem o processo para então tirar a outra parte que estará sem minhocas)
  • E todo o processo recomeça.
  • Alguns pontos importantes: a compostagem doméstica não dá cheiro. As minhocas não saem da caixa. O tamanho da composteira vai variar com a quantidade de pessoas que residem na casa e os hábitos de consumo. Mas normalmente não requer muito espaço. As minhocas sobrevivem sem serem alimentadas por aproximadamente 2 a 3 meses.

Responsabilidade Ambiental

A Partiu ser nômade valoriza o meio ambiente e a sua importância para que possamos ser livres para habitar qualquer canto do planeta. E se o mundo é a nossa casa, nada mais lógico que cuidar dele.

Quer conhecer um pouco mais da filosofia da Partiu? Acesse este link:

https://www.partiusernomade.com.br/sobre-nos/

Confira já a nossa categoria de produtos para o seu Home Office ficar bem profissional (clique na imagem abaixo):

https://www.partiusernomade.com.br/home-office-e-coworking/

Siga nossas redes sociais e esteja sempre em sintonia com o nosso movimento. Partiu?

@partiusernomade

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.